Atualmente as organizações procuram maximizar os proveitos, nomeadamente no que concerne às matérias-primas reutilizáveis, adotando novas estratégias face às constantes mudanças dos vários cenários emergentes. A Gestão Logística é certamente uma ferramenta importante na obtenção dessa mesma vantagem competitiva, servindo de elo de ligação entre o mercado e as várias áreas de uma organização. É responsável pela gestão de fluxos físicos e organizacionais, intra e interorganizações. A logística inversa adquiriu atualmente um maior relevo nos processos devido aos ganhos na maximização dos proveitos e na minimização dos tempos.

A gestão da logística inversa dos resíduos é uma das áreas mais complexas nas empresas, quer pelo esforço financeiro na separação e movimentação de todos os resíduos, quer pelos recursos humanos afetos a estes processos. A complexidade da armazenagem é efetivamente um dos maiores desafios, mesmo que por períodos curtos.

Com a melhoria do nível de vida, sobretudo nos países industrializados, tem-se verificado um aumento cada vez maior dos resíduos, em número e em quantidade.

Com os aterros sobrelotados e com a escassez de incineradoras (em número e em capacidade), têm sido envidados esforços no sentido de reintegrar os resíduos nos processos produtivos originais tendo em vista a minimização das substâncias a depor em aterro bem como a redução do consumo de recursos naturais. A reintegração dos resíduos nos processos produtivos permite um desenvolvimento sustentável, evitando riscos para as gerações futuras. A Gestão da Logística Inversa na Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE) é fundamental em toda a cadeia de abastecimento.

por:

Nuno Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *